S.T.B. Seminário Teológico do Brasil

Perfil do Teólogo

Saiba o que se espera de um teólogo na atualidade

O S.T.B. é um seminário livre, independente e desobrigado de regulamentação governamental no tocante ao Curso de Teologia, entretanto reconhece como importantes as diretrizes curriculares para os cursos de Teologia, de acordo com a Minuta v. 14 de março de 2010 e, assim, introduz em seus cursos livres algumas  propostas da referida diretriz a fim de que, também, agregue  características comuns aos ambientes acadêmicos de elevado nível.

No tocante ao tema Perfil do Teólogo o S.T.B. se orientará pelas alíneas abaixo, conteúdo da referida Minuta:

Perfil do Teólogo

Considerando o disposto no Art. 205 da Constituição da República Federativa do Brasil, em que se prevê como objetivo da Educação o pleno desenvolvimento da pessoa, a formação para a convivência cidadã e a qualificação adequada para o trabalho, e o espírito que subjaz ao Art. 43 da LDB/96, no que diz respeito à Educação Superior, um Curso de Teologia visa formar pessoas que tenham estas características além da formação adequada em seu campo específico, como a seguir:

a. compreender os conceitos pertinentes ao campo específico do saber teológico e ser capaz de estabelecer as devidas correlações entre estes e as situações práticas da vida;
b. integrar várias áreas do conhecimento teológico para elaborar modelos, analisar questões e interpretar dados em harmonia com o objeto teológico de seu estudo;
c. compreender a construção do fenômeno humano sob a óptica da contribuição teológica considerando o ser humano como ente holístico e refletir criticamente sobre a questão do sentido da presença do humano nesta vida;
d. analisar, descrever e explicar os fenômenos religiosos, articulando a religião e outras manifestações culturais, apontando a diversidade dos fenômenos religiosos em relação ao processo histórico-social;
e. fazer reflexão teológica e divulgação de sua compreensão teológica;
f. desenvolver a transcendência como capacidade humana de ir além dos limites que se experimentam na existência;
g. ter formação teórica e prática que o capacite para exercer presença pública interferindo construtivamente na sociedade na perspectiva da transformação da realidade e na valorização e promoção do ser humano;
h. assessorar instituições confessionais ou interconfessionais, educacionais, assistenciais e promocionais em âmbito teológico, tanto na perspectiva teórica, quanto na prática;
i. elaborar e desenvolver projetos de pesquisa dentro das exigências do rigor acadêmico e dos princípios éticos da confessionalidade;
j. ter hábito pessoal de leitura, disciplina no estudo e motivação para prosseguir em sua formação teológica, na perspectiva da formação continuada;
k. participar de comitês interdisciplinares, como os comitês de Bioética, a partir de uma fé que se relacione com a vida, e que promova a defesa dos direitos inalienáveis do ser humano, participando e incentivando da construção permanente de uma sociedade mais justa e harmônica.